Resenha: JXNV$, ‘Mec Life’

Pode conferir você mesmo: O público estava tão ouriçado para flagrar o novo registro do Profeta do TTK que ao buscar “JXNV$” no YouTube já aparece “jxnvs mec life” — e não é para menos. O produtor do Nectar Gang vem se destacando há um tempo.

Pela Café Crime, quando tudo começou para ele e Nectar, produziu quase todas as faixas do primeiro projeto de sua clique (turma), Seguimos na Sombra, uma mixtape para lá de autêntica. Seus beats raros — e caros — costumam marcar mais que pneu na pista.

JXNV$ piou como MC em vários registros. Ele provavelmente deve ter pensado, “Vou piar como MC, também. Quero cuspir umas rimas. Também quero entrar na cabine e me divertir com o microfone.” E funcionou! Logo piou mais ainda na mixtape surpresa gravada em uma semana, Pirâmide Perdida Vol. 7, largando rhymes sagazes e profetizadoras.

A capa feita pelo SANTOS teve uma forte — se não total — influência do hip-hop do Sul dos EUA, que, nomeadas Pen & Pixel, jamais foram vistas antes no mundo da música. Capas de discos como Mista Don’t Play: Everythangs Workin’, do Project Pat, Ghetto Dreams, do Fat Pat, King of da Playaz Ball, do Kingpin Skinny Pimp; The End, do Three 6 Mafia, Chopper City in the Ghetto, do B.G., etc. fizeram história. Mas não eram só os artistas do Sul que atacaram inovando completamente com esse tipo de arte: Snoop Doggy Dogg, da Costa Oeste, havia saído da Death Row e assinado com a No Limit Records de Nova Orleans do Master P em 1998, e lançou Da Game Is to Be Sold, Not to Be Told no mesmo ano, usufruindo da popularidade que a P&P havia se tornado.

“Mec Life” já estava assando no forno da Pirâmide Perdida há um tempo (como mostra esse vídeo postado no YouTube em 2017), então já tínhamos ciência de que esse registro não é nenhuma novidade. Produzida por Neguim Beats, JXNV$ enfatiza a tranquilidade através de sua lírica bandida, visando apenas o aproveitamento [de uma vida] sem estresse. Na corrida do ouro, ele, que vem desenvolvendo sua habilidade como MC conforme vai piando em cada participação, se emerge com a força de touro, e sua fortaleza se expande para repelir mal agouro. Enquanto muitos apontavam o dedo julgando-o, JXNV$ tava correndo em dobro, sem [precisar] olhar o dos outros. Referenciando o jogador de futebol da Costa do Marfim Didier Drogba, ele cospe: “Piei Drogba; ângulo: acertei lá” (aqui JXNV$ vê o ângulo como um alvo que precisa ser acertado para que ele possa ter seu plano realizado com sucesso.) Envolvido com uma mina que várias casa do jogo ela quer avançar, só de ouvir o beat do Neguim começa a rebolar, deixando o Profeta cada vez mais interessado.

Estando na mec life, completamente mec, mec tranquilinho (porque elas gosta assim) e correndo pelo din, din, JXNV$ brota extasiado no segundo verso, brindando com Hennessy e profetizando: “Imaginação também cria realidade/ Moldando arte, fazendo notas de verdade.”.

.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s