GANGSTA LOVIN’ – Suge Knight: ‘Nunca haverá outro Tupac’ (2002)

Eles eram mais colados do que a bunda de Foxy Brown em um vestido da Versace. Suge Knight tornou-se amigo de Tupac Shakur no seu ponto mais baixo e permaneceu ao seu lado até o dia em que morreu. Sempre franco, o grande homie lembra tudo. — Matt Dieml

 

Como um chefe, como um amigo, como aquele que se sentou ao lado dele e recebeu uma bala quando Tupac Shakur perdeu sua vida, Suge Knight podia reivindicar uma proximidade com o homem que muitas pessoas não puderam. Sentado em Gladstones — um restaurante à beira-mar em Malibu que ele e ’Pac costumavam frequentar —, Suge, em uma entrevista exclusiva para a XXL, conversou sobre quebrar as ondas do oceano sobre o homem que ele diz que conhecia melhor do que ninguém e as memórias que não podem ser lavadas.

 

XXL: Como você definiria seu relacionamento com Tupac?

Suge: Nós éramos como irmãos gêmeos, tio e sobrinho, pai e filho. Você sabe, chegou ao ponto em que ele sempre confiava em mim, e eu sempre confiei nele: Passamos tanto tempo juntos que ele poderia terminar as minhas frases, e eu as suas. Sabíamos exatamente o que o outro estava pensando. ’Pac não realizava uma gravação ou um vídeo a menos que eu estivesse lá; se eu não estivesse, ele não fazia nada. Então, quando eu chegava, ele dizia: “Tudo bem, agora você está aqui, agora podemos ir trabalhar e nos divertir.” Era a maneira dele, apenas decidido.

Então, de onde veio essa confiança?

Após o incidente em Nova York quando ele foi baleado e roubado, a maioria das pessoas provavelmente o enviou, você sabe, rosas e cartas. Mas eu lhe enviei um colete à prova de balas com o logo da Death Row. Eu disse: “Eu me importo com você, mas, você sabe, vou tratá-lo como um homem. Eu não vou tratá-lo como um bebê.” Pouco depois, ’Pac foi preso. Muitas coisas ruins foram ditas sobre ele, e todos basicamente o abandonaram.

Eles o abandonaram porque ele estava em apuros?

Quando você é preso, as pessoas não vão ajudá-lo, porque a maioria das pessoas irão vê-lo como um investimento — não como amigo, não como pessoa, nem como homem. De qualquer forma, nesse momento ele tinha uma esposa com o nome de Keisha, e ela me ligou. Ela disse: “Você não me conhece, mas ’Pac realmente, realmente precisa ver você. Ele quer que você vá vê-lo.” Nesse momento eu estava sob prisão domiciliar, e eu tinha uma pequena pulseira no tornozelo e tal, então entrar na prisão não foi tão fácil.

Era ilegal ir visitá-lo?

Definitivamente. Mas eu senti que esse cara precisava da minha ajuda, e por algum motivo estranho eu estava indo para ajudá-lo — por qualquer meio necessário. Então, quando eu atravessei aquele detector de metais e a coisa sinalizou por causa da minha pulseira no tornozelo, eu poderia ficar preso ali mesmo, mas eu ainda coloquei minha liberdade em jogo para ver o que ele realmente precisava e qual era o problema.

Onde Pac estava cumprindo pena?

Em uma prisão no norte de Nova York. Eu tive que passar por vários lugares para chegar lá. Era muito remoto, eu precisei pegar um avião privado da cidade de Nova York para esta pequena cidade, e a partir daí pegamos um carro e dirigimos até a prisão. Quando cheguei lá, ’Pac não se parecia com ele: Tinha muitas preocupações em sua mente. Ele me disse que não tinha dinheiro, que tudo ia dar errado, então ele queria que eu comprasse sua liberdade por $25,000. Eu disse a ele: Se eu fizer isso, eu estarei te roubando sem uma arma ou uma faca. O que eu vou fazer é o seguinte: Eu vou te dar 50 mil, mas não é para te tirar daqui.” Ele interrompeu, dizendo: Mas eu posso escrever mais músicas  eu escrevo músicas o tempo todo.” E eu rebati: “Esse não é o ponto  o que realmente está acontecendo com você?” Então nós conversamos. Falei para ele: Eu não posso tirar você hoje, mas de 100% para você sair da prisão — e com a influência e as conexões que eu tenho, acredito que haja 95% de chance para que possamos te tirar dessa. Mas uma vez que você tenha sua liberdade, você tem que sair ainda mais focado, mais inteligente, ainda mais forte do que antes.

O que ele te disse?

Ele era minha cobertura, também: Ele me disse que ele sentiu que Snoop e [Dr.] Dre não eram rapazes firmes  que eles não tinham uma verdadeira lealdade por mim e à Death Row. Ele disse: “Eu sei que você é um nigga leal da rua, e eu vou te dar a mesma lealdade.”

Qual foi a atitude de ’Pac em relação à vida, assim que ele saiu da prisão?

Ele tinha uma verdadeira ética de trabalho. Ele queria trabalhar, e foi emocionante. Quando ele chegou no estúdio, ele já tinha músicas feitas. A primeira música que fizemos juntos foi Ambitionz Az A Ridah. As únicas pessoas no estúdio eram ’Pac e eu. Nós tocamos a faixa, ’Pac tirou a camisa, pegou algo para beber e apenas fez isso. Isso não era negócio  nós estávamos apenas fazendo algo para ser divertido… Eu estava no estúdio sempre que ele gravava algo. A razão pela qual trabalhamos tão rápido foi que eu estava sob prisão domiciliar: Eu estava em prisão domiciliar, e ’Pac viveu ali junto comigo. Nosso dia começava com um enorme café da manhã. Então, vamos trabalhar, fazer uma pausa para jantar, sair e fazer uma festa, depois voltar ao estúdio e fazer mais músicas.

Como sua presença o ajudou como artista e como pessoa?

Ele finalmente soube que ele tinha alguém com ele, que se importava com ele  para ele, não para ele fazer alguma coisa. Ele disse: “Quer saber, eu tenho alguém que gosta de mim.” Eu disse a ele: Se você não está feliz de ser um repper, sendo um artista, você não precisa ser. Nós ainda seremos bons amigos, nós ainda estaremos usufruindo da vida e nos divertiremos — não havia nenhuma pressão.

fe41aaea598d916c8313e55b48501043
Suge Knight e Tupac


O que vocês falavam durante esses momentos?

Ele falava sobre sua vida, sua infância. Não havia segredos. Ele sempre se sentiu sozinho, porque ele nem sempre tinha sua família, crescendo ao redor, e seus amigos nem sempre estavam nos seus melhores interesses. Eu disse a ele: Seus amigos são meus amigos, seus inimigos são meus inimigos. Eu costumava brincar e lhe dizer: Você sabe, você nunca teve um amigo como eu. Então ele fez uma música sobre isso, “Never Had a Friend Like Me”.

O que vocês faziam para se divertir?

Não só trabalhávamos duro juntos, nós nos divertíamos muito juntos. Nós íamos aos clubes de strip juntos. Nós íamos até a praia, talvez em um restaurante em Beverly Hills onde era atípico ver outros negros lá, mas não era incomum ver eu e ’Pac lá. Não havia limites — você nos via um minuto em Compton e em Beverly Hills no outro. Fazíamos tudo o que você podia fazer para se divertir em Las Vegas — dos clubes às mesas de dados às festas de piscina — apenas aproveitando a vida. Seria preciso uma pessoa de 50 anos para fazer as coisas que fizemos em tão pouco tempo. Isso é o que muitas pessoas não entendem. Há algumas pessoas que vivem muito tempo mas vivem uma vida muito curta, e há pessoas que vivem uma vida muito curta mas naquela vida há muito, muito tempo. Tupac vivia muito mais do que alguém que tinha 90 anos. Quando fomos a um show do R. Kelly uma vez foi quando ele viu que realmente era uma superestrela. Quando os fãs do R. Kelly viram ’Pac, eles perderam a calma e foram para cima dele. Isso destruiu tanto o show que eles queriam que saíssemos de lá para que o show pudesse continuar rolando. Mas quando nós saímos, o lugar todo esvaziou.

’Pac era um grande festeiro?

Ele era um festeiro! Nós fazíamos festas onde talvez fossem cinco caras e 55 mulheres, ou 40 mulheres e só eu e ’Pac. Nós fomos a Cabo San Lucas no México. Nós estávamos lá em pequenos barcos, nós andamos de cavalo na água, todas essas coisas. Meu iate estava lá, e nós vivíamos nele e curtimos um ótimo momento. Todas essas mulheres e pessoas na praia acenavam para o iate. Eu disse: “Se você estivesse em forma como eu, poderíamos nadar até lá.” ’Pac respondeu: “Se a sua bunda grande pode fazer isso, eu sei que também posso. Eu tenho que estar em melhor forma do que você!” Eu disse a ele que não sabia se ele podia nadar essa distância, mas ele não estava ouvindo. Então tiramos nossas jóias e relógios e ambos pularam no oceano. ’Pac foi na frente. De repente, ’Pac ficou cansado. Pensei que ele estava brincando, mas era sério, e ele dizia: “Eu preciso descansar um pouco.” Então ele ficou nos meus ombros, e eu o segurei para que ele pudesse recuperar sua respiração. Até então, eu estava começando a ficar cansado. Neste ponto, ambos estavam prestes a se afogar. Eu afastei ’Pac de mim e gritei: “Alguém venha nos ajudar, nós temos que nadar!” Mas ele afundou diretamente para o fundo, então eu mergulhei e consegui pegá-lo. Até agora, todas essas pessoas estavam mergulhando na água para nos ajudar. Eu disse: “Ele está se afogando, ele precisa de ajuda!” Então todos agarraram-no. Eles o levaram para a praia, e quando cheguei lá, eu estava tão cansado, que eu estava rastejando pela areia. Eu estava tentando pôr minhas roupas de baixo no lugar, e ’Pac disse: “Eu não consigo sentir minhas pernas.” Suas roupas de baixo estavam caindo, então eu puxei-as para cima, e um cara que nos ajudou estava prestes a fazer respiração boca a boca. ’Pac disse: “Não deixe que ele faça isso!” Mas eu disse: “Nós temos que tirar a água dos pulmões” — ele estava ficando branco. Então eu o peguei e dei um grande aperto, e toda essa água salgada começou a escorrer de sua boca. Eu carreguei ’Pac em meus ombros até a estrada, onde esse rapaz nos colocou atrás de sua camionete e nos conduziu até o hospital. O médico disse: “Eu não sei o que você fez, mas você tirou toda a água dele. Se não tivesse feito isso, ele teria morrido.” Depois disso, ’Pac disse: “Eu nunca mais vou nadar no oceano.”

Como era o processo criativo de ’Pac?

Se alguma coisa fora do comum acontecesse, ele transformava em uma música. Muitas coisas que ’Pac escreveu em músicas poderiam ser sobre sua vida ou alguém perto dele. Como se ele falasse sobre algo que seu pai lhe falava, é baseado no que meu pai me disse, porque eu fui criado com meu pai biológico e ’Pac não. ’Pac fez uma música onde ele disse que ele tinha um preço na sua cabeça, você sabe, e o pai dele tem três filhos e assim por diante e assim por diante. ’Pac não tinha filhos — eu tinha os três filhos. Então, ’Pac pegava uma pessoa com quem ele se importava ou gostava ou olhava e fazia uma música. Ele entrava em suas mentes, sua alma.

’Pac sempre foi leal a Death Row?

Eu sei que ’Pac me amou sem dúvida, e ele definitivamente amava a Death Row. As pessoas dizem que ’Pac não queria mais estar na Death Row, mas isso não era verdade. ’Pac só não queria mais trabalhar com Snoop. O que aconteceu foi que, Snoop foi para a estação de rádio e disse que não sabia o que ’Pac estava fazendo — não escutem o que ’Pac está falando. Snoop então disse que iria fazer uma música com Puffy e uma com Biggie. Quando Snoop disse isso, ’Pac bateu na minha porta e disse: “Ligue o rádio, rápido — esse bundão filho da puta está me atacando! Ele está contra mim, dizendo que vai fazer músicas com pessoas que eu não gosto. Eu lido com todos na Death Row porque você lida com eles, mas nunca vou lidar com eles novamente. Eu vou eliminar qualquer coisa boa que eu tenha dito sobre Snoop — ele é uma puta, e ele tem ódio por nós. Eu vou estar na Death Row. Eu sempre vou estar com você, mas não quero trabalhar com ele. Nós não precisamos dele — você não precisa de um Dre, você não precisa de um Snoop, você não precisa de nenhum desses caras, porque você tem eu. Eu amo você e eu vou trabalhar duro para você. Nós estamos fazendo coisas maiores.” Então quando nos preparamos para sair da sala, ’Pac ameaçou Snoop e disse que iria partir para cima quando o visse.

Como Snoop reagiu?

Snoop retirou o que disse e chorou e toda essa merda. Sua esposa estava grávida, e ele disse a todos nós que se fosse um menino, ele iria chamá-lo de Tupac — o que ele não fez. O maior problema que esses caras tinham comigo era que eu sempre estava ao lado de ’Pac. Todo mundo tinha ciúmes dele.

O que ’Pac realmente gostava em uma mulher?

Bem, vamos colocar assim: Quantas vezes você ouviu ’Pac dizer “Money over bitches” (Dinheiro acima das vadias)? ’Pac não estava prestes a se casar e mudar sua vida por uma mulher. Quando ’Pac não estava aqui para falar por si mesmo, muitas pessoas tentavam ganhar fama dizendo que eram sua mulher… ’Pac não encontrou nenhuma mulher que chegasse tão perto dele para que ele pudesse dizer: “Esta é a mulher com a qual eu quero me casar.” Se ’Pac dissesse algo assim, eram quatro da manhã, depois de três garrafas de Cristal.

Quem era o verdadeiro ’Pac? Ele era um jogador? Um gangsta? Um bandido? Um poeta? Um ativista para a comunidade?

Tupac foi um presente para o mundo. E se ’Pac fosse um bandido e um gangster, ele realmente seria um bandido e um gangster. Ele realmente estava fazendo parte desse estilo de vida. E se ele fosse um jogador, ele iria jogar. O que fez nosso relacionamento ser tão grande foi que eu nunca tentei mudá-lo. Muitas pessoas querem obter créditos pela carreira do Tupac, mas foi eu que dei esse crédito. Eu o criei.

Se ’Pac estivesse vivo hoje, o que ele estaria fazendo?

’Pac ainda estaria nos filmes. Na música, ele estaria fazendo esse lance gangster, esse lance de clube. Mas você precisa perceber uma coisa: Mais pessoas se beneficiaram mais do ’Pac quando ele não estava aqui do que ’Pac quando estava. Muitas pessoas podem estar no mercado hoje dizendo que estavam envolvidas com ’Pac. ’Pac era um homem muito bom, ele poderia conhecer uma garota que tinha uma irmã que era a maior prostituta, que tinha um bebê e não estava fazendo merda com sua vida. Ele dizia: “Quer saber, ela não pode conseguir emprego, ela continua dormindo com todos, ela não vai poder cuidar de uma criança, então, eu vou lhe dar um emprego  eu vou deixar que ela venha e talvez lave meu carro, ou ela possa ter relações sexuais com alguns dos manos. E quando ’Pac não estava mais aqui, a mesma mulher se virou e disse: Eu era assistente de ’Pac — eu trabalhava com ele todos os dias. Eu vi muito disso. ’Pac estava definitivamente pela luta, porque ’Pac entrou na luta por si mesmo, então ele sabia o que era isso. Ele sabia o que era. Todos os anos eu levava brinquedos em Compton e South Central, ia aos hospitais — desde bem antes do ’Pac ingressar na Death Row. Agora, Dre supostamente é de Compton. Ele nunca foi uma vez a nenhuma das escolas para entregar brinquedos às crianças, ele nunca foi a um hospital. Mas ’Pac, no ponto mais quente de sua carreira, eu disse: Ok, ’Pac, vou a Compton. Vou lá, precisamos fazer isso pelas crianças. E ele nunca se recusou a ir. Nenhuma vez. ’Pac era a pessoa perfeita para estar em torno das crianças porque ele as tratava como se elas estivessem acima de todas as estrelas. Isso o fazia se sentir bem. Ele estava revivendo sua infância através da deles, dando coisas que ele queria e não teve quando era mais jovem.

O que ’Pac gostava de ouvir? Como em casa ou no carro?

Você sabe, é engraçado. No começo era só rep. Mas quando ele começou a andar comigo, sempre botava coisas mais antigas. Ele dizia: “Tira essa merda daí! Nós não estamos vivendo nos anos 70!” E eu dizia para ele apenas ouvir as letras  eu botava para tocar Isley Brothers, Sam Cooke. Uma vez estávamos em Las Vegas e nós fomos para ver Gladys Knight, e nós levamos nossas mães — Gladys Knight deu o show mais incrível. Nós olhamos para Gladys como se ela fosse outra nossa mãe, sabe o que quero dizer? Gladys botou um sorriso no rosto do Tupac.

Qual era a música favorita do Tupac?

Nós sempre amamos A Change Is Going To Come de Sam Cooke. A primeira vez que ele ouviu essa música no meu carro, isso tornou-se a sua canção. Qualquer pessoa que realmente conhecia ’Pac sabia que essa era a porra da sua canção favorita.


Quais reppers ’Pac gostava?

Ele definitivamente gostava de Scarface.

Existe algum repper hoje que você vê continuando o legado do Pac?

Nunca haverá outro Tupac. É como se as pessoas dissessem que não haverá outro Muhammad Ali ou Michael Jordan.

O que você faria com a carreira do ’Pac se ele não tivesse morrido?

Se ’Pac estivesse aqui agora, eu teria ’Pac cantando em arenas e fazendo músicas severamente para as mulheres. Ele tinha esse carisma onde os caras adoravam o que ele fazia, mas ao mesmo tempo, ele conseguiu fazer músicas que deixavam as mulheres extasiadas.

Existe alguma coisa que as pessoas não sabem sobre Tupac?

Que ele não estava perdendo. Se ele realmente se importasse com você, ele realmente se importava com você. Um monte de pessoas costumam dizer Eu e ’Pac éramos muito próximos quando éramos mais jovens, mas depois ficamos sem contato, e nunca mais ouvi falar dele. Isto não aconteceu por acidente. ’Pac não perdeu contato com as pessoas — ele simplesmente não iria lidar com filhos da puta que não se preocupavam com ele. Ele cresceu e ficou mais esperto.

’Pac é grande hoje como era quando vivo?

Tupac está em uma classe sozinho — ele é o Elvis do gueto. Eu costumo dizer assim: Quando eu estava preso, as pessoas negociavam fitas e CDs o tempo todo. Ninguém nunca negociou CDs do 2Pac. Você sabe, quando fui preso, ouvi ’Pac o tempo todo, porque eu senti mais falta dele do que da minha liberdade. Perdi minha liberdade, ok, mas meu coração estava livre, minha mente estava livre, meu espírito estava livre, e eu sabia que um dia, mais cedo ou mais tarde, eu seria solto. Mas eu nunca vou ter ’Pac de volta. Nunca tivemos uma discussão ou um desentendimento. Nenhuma vez. Isso é raro. ’Pac sempre quis um grande irmão, e não existe duas pessoas tão boas quanto eu e ele. Foda-se o trabalho, foda-se ’Pac como um artista — eu perdi meu melhor amigo.

 

 

Fonte: XXL Magazine

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s