Aqui está o histórico criminal de Gucci Mane

Com 12 álbuns de estúdio, 72 mixtapes, 7 EPs, 33 singles (incluindo 21 como artista colaborativo), 1 álbum de trilha sonora, 2 álbuns de colaboração, 5 singles promocionais e 2 álbuns de coleção, Gucci Mane é considerado por muitos o maior trapper de todos os tempos, mas também um incomensurável inimigo para a polícia de Atlanta. Antes da fama, vivia horas e horas na casa de Zaytoven, produzindo com ele, já que sempre se deram bem desde sua chegada em Atlanta. Em 2005, dentro do Patchwerk Studio, Coach K, que antes de tudo acontecer era empresário de Young Jeezy, ouviu Gucci dizer que precisava de ajuda, então Gucci disse: “Sou o artista que você estava procurando. Você precisa de mim”, e ele topou trabalhar em algo, juntando a voracidade intrínseca com a de Young Jeezy, disponibilizando então o formidável hit “Icy”, já sendo o primeiro hit de Zaytoven, acertando em cheio. Gucci, que sempre esteve envolvido em problemas, seu pessoal adorava vê-lo dentro do estúdio, onde vivia fleumático, sempre focado e de cabeça fresca, pegando pesado, com os ouvidos afiados nos beats de Zaytoven.
Não precisamos refutar absolutamente nada sobre Atlanta ser o berço da música Trap. Não obstante, não tem nada de enigmático para a polícia local ter que andar pelas ruas e ouvir músicas afrontando a profissão que exercem. Como se já não bastasse a alta criminalidade, ouvir insultos através de músicas por literalmente todas as esquinas não deve ser nada aprazível e/ou aplausível aos ouvidos de quem discorda de 101% do que é passado nela.
Os tradicionais amendoins fervidos da Geórgia não chegam perto de saciar a fome dos policiais que, se pudessem, seriam saciados com a exterminação de Gucci da Terra. Segundo os próprios, Gucci é um perigo para seus ouvintes graças às letras baseadas em ostentação e alta jactância, que vão de criminalidade à xingamentos profundos aos federais. — RiDuLe Killah

2001–2008

Em Abril de 2001, Davis foi preso sob acusações de cocaína e condenado a 90 dias na prisão de Atlanta.
10 de Maio de 2005, Davis foi atacado por um grupo de homens em uma casa em Decatur, Geórgia. Davis e as pessoas que estavam com ele atiraram no grupo, matando um. O cadáver de um deles, Pookie Loc, foi encontrado mais tarde atrás de uma escola secundária nas proximidades. Davis se entregou aos investigadores da polícia em 19 de Maio de 2005, e foi subsequentemente acusado pelo assassinato. Ele alegou que os tiros disparados por ele foram em legítima defesa, e não propositalmente tentativa de assassinato. Em Janeiro de 2006 o escritório do procurador de DeKalb County disse que o argumento de Gucci sobre o assassinato teve provas insuficientes. No mês de Outubro anterior, em um assunto não relacionado, Davis não havia contestado a acusação de agressão agravada por agredir um promotor de boate no mês de Junho anterior; no momento em que a acusação de assassinato foi descartada, ele estava cumprindo uma sentença de seis meses de prisão no condado por isso. Davis foi libertado da prisão no final de Janeiro de 2006.
Em Setembro de 2008, Davis foi preso por uma violação de liberdade condicional por completar apenas 25 das 600 horas de serviço comunitário após sua prisão de 2005 por agressão. Ele foi condenado a um ano na prisão do condado mas foi libertado após seis meses. Ele foi encarcerado na prisão de Fulton County por violação de liberdade condicional e solto em 12 de Maio de 2010.
2010–2011

Em 2 de Novembro de 2010, Gucci Mane foi preso por dirigir no lado errado da estrada, desrespeitando a luz vermelha ou sinal de parada, danos à propriedade do governo, obstrução, sem licença, sem prova de seguro e outras taxas de tráfego. Ele foi levado para o Grady Memorial Hospital.

Em 4 de Janeiro de 2011, um juiz do Tribunal Superior do condado de Fulton da Geórgia ordenou que o repper Gucci Mane fosse internado em um hospital psiquiátrico, de acordo com documentos do tribunal. Os documentos revelam que seus advogados apresentaram uma Argumento Especial de Incompetência Mental em 27 de Dezembro, argumentando que “ele é incapaz de avançar e/ou participar inteligentemente na audiência de revogação de liberdade condicional”.
Davis foi preso duas vezes em Abril de 2011 em Dekalb County, em 13 de Abril, acusado de agressão, e em 20 de Abril, por duas acusações de agressão agravada com uma arma mortal.
Em 13 de Setembro de 2011, foi dada uma sentença de prisão de seis meses para ele, depois de se declarar culpado de duas acusações, duas acusações de conduta imprudente e conduta desordenada. Foi liberado dois meses depois, 11 de Dezembro de 2011.

2013–2014

Em 22 de Março de 2013, o Departamento de Polícia de Atlanta emitiu um mandado de prisão para Gucci, depois que supostamente atacou um fã que estava conversando com o segurança para tirar uma foto com ele. Um soldado, chamado James, afirmou que ele [Gucci] o atingiu com uma garrafa na cabeça, enquanto ele estava conversando com um segurança para conseguir uma foto com o repper. Ele foi tratado no Grady Memorial Hospital e recebeu 10 pontos. Quatro dias mais tarde, um segundo homem conhecido pelas iniciais T.J., disse que Gucci deu um soco em sua cara, quando T.J. tentou apertar a mão depois de uma apresentação no Club Onyx, na Filadélfia. Na madrugada de 27 de Março, Gucci Mane se entregou às acusações de agressão agravada. Seu argumento foi negado e ele foi encarcerado na prisão Fulton County, novamente. Seu advogado disse que as testemunhas afirmaram que Gucci não teve nada a ver com a agressão. Ele apareceu de volta ao tribunal dia 10 de Abril de 2013 e foi indiciado por uma acusação de agressão agravada. Dois dias depois ele pagou uma fiança de $75.000, e no dia seguinte, 13 de Abril, ele foi preso novamente por uma violação de liberdade condicional. Libertado três semanas depois, em 2 de Maio de 2013.
Em 13 de Setembro de 2013, Gucci Mane estava por aí com um amigo, e estava se comportando “erroneamente”. Este amigo então decidiu chamar a polícia para ajudá-lo. Quando a polícia chegou, Gucci começou a xingá-los e a ameaçá-los. As autoridades então levaram Gucci sob custódia às 00:05, e ao revistá-lo, encontraram maconha e uma arma de mão. Gucci foi então preso sob a acusação de ter uma arma escondida, posse de maconha e conduta desordenada. Ele foi hospitalizado após a prisão. No dia 30 de Setembro de 2013, foi revelado que Gucci Mane serviria 183 dias na prisão sob acusações de posse de arma de fogo por um criminoso condenado, conduta desordenada, portando uma arma escondida, posse de maconha, entre outros.
Em 3 de Dezembro de 2013, Gucci Mane foi acusado no tribunal federal com duas acusações de possuir uma arma de fogo como criminoso. De acordo com o promotor federal, Gucci estava na posse de duas armas carregadas diferentes entre 12 e 14 de Setembro de 2013, e veio a ser condenado a até 20 anos de prisão.
Em 13 de Maio de 2014, Gucci Mane se declarou culpado pela posse de uma arma de fogo. Ele concordou com um acordo de culpa que resultaria em sua prisão até o final de 2016. De acordo com o Departamento Federal de Prisões sua data de saída foi 20 de Setembro de 2016. Serviu sua sentença na United States Penitentiary, em Terre Haute, Indiana. No dia 26 de Maio de 2016, Gucci foi libertado da prisão três meses antes da data marcada para Setembro; pois foi determinado que os cinco meses que passou na prisão esperando por seu julgamento não foi acrescentado a sua sentença.

Manancial: Wikipedia

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s